fbpx

Al Merrick Two Happy: Analisando Pranchas

al merrick two happy

Al Merrick Two Happy: Analisando Pranchas

O mais novo lançamento da Al Merrick, a Two Happy é nosso alvo de hoje na série Analisando Pranchas. Assim como outros modelos da marca, esta prancha é perfeita para as ondas brasileiras. Descubra por que a seguir.

A Channel Islands é conhecida como uma das principais fabricantes de pranchas do mundo. Ela possui dezenas de títulos mundiais de surf e conta com uma equipe de surfistas de alto calibre. A importância disso para a marca e para os surfistas do mundo todo é muito maior do que podemos imaginar.

A questão dos títulos trouxe muita fama e notoriedade para as pranchas da CI, principalmente sob os pés do hendecacampeão mundial Kelly Slater. Entretanto, para nós surfistas amadores o fato de a Channel Islands ter uma equipe de peso traz como resultado o desenvolvimento constante de novos modelos de pranchas entre eles e o shaper Britt Merrick.
two happy

Família Happy

happy al merrick

Primeiro foi a Happy, lançada no início de 2020, mas que já vinha sendo usada pela equipe desde 2019. Esta prancha nasceu para ser usada em condições de ondas boas e fortes, preferencialmente em ondas entre 3 e 8 pés. Ela combina velocidade, manobrabilidade e segurança nas curvas, sendo uma prancha de ótimas respostas em condições de mar acima da média. Ela é hoje inclusive uma das pranchas mais usadas pelos surfistas da CI, assim como pelos amadores fãs da marca.

Mais recentemente, já em 2021 foi lançada a Happy Traveler. Baseada na Happy, ela recebeu alguns ajustes para ser usada em tamanhos maiores e ondas maiores. Este modelo surgiu por conta dos pedidos dos profissionais da equipe, que gostavam demais da Happy, mas gostariam de um modelo fosse ainda mais seguro e sólido em ondas entre 6 e 12 pés.

Da mesma forma, havia o desejo por parte desses mesmos atletas de ter uma prancha similar a Happy, mas que fosse um pouco mais responsiva e solta em ondas menores, naqueles mares do dia a dia, entre 2 e 5 pés. Foi aí que nasceu a Al Merrick Two Happy. Aliás, muita gente pensa que um protótipo dela foi enviado para a Austrália para ser usada por Taj Burrow no desafio Stab In The Dark, mas não. Aquela é uma prancha semelhante à Two Happy, mas ainda mais pensada pra ondas pequenas.

Ainda assim, vale ressaltar que ela acabou terminando em segundo lugar, atrás apenas da SharpEye Disco Inferno, mas para muitos foi a prancha que teve a melhor performance sob os pés do australiano.

Outline E Bordas

two happy al merrick

A Two Happy, assim como a Happy, contém um pouco mais de volume posicionado na parte frontal da prancha, o que a faz ter uma remada muito boa e com que gere velocidade rapidamente após o drop. Além disso, este volume mais à frente proporciona conforto e estabilidade para o surfista.

Em comparação com a Happy, ela conta com bordas levemente mais altas e quadradas, o que a deixa mais solta e em cima d’água, sendo mais fácil de surfar. Por fim, sua rabeta tem medidas mais largas, contando com um pouco mais de volume no terço final da prancha, proporcionando maior sustentação sob o pé de trás, facilitando a performance e as transições em partes mais fracas das ondas.

Vale ressaltar que a Two Happy também conta com o Happy Patch na rabeta. Ele nada mais é do que um pedaço de tecido e-cloth, que neste caso é vermelho, diferentemente do azul usado na Happy. Ambas não têm tem reforço de carbono na rabeta, apenas esse pedaço de tecido e-cloth de 6 polegadas. O intuito disso foi para deixar a rabeta mais flexível e com mais liberdade de movimento. Ele está presente em ambos os lados da rabeta, mas apenas um é colorido, o outro é transparente.

Concave

concave two happy

O fundo da Two Happy também é similar ao da Happy. Ele começa em um single concave um pouco à frente do centro da prancha e gradualmente muda para um double concave na região entre as  quilhas. O que muda nesse caso é que a Two Happy possui o double concave mais profundo que a sua antecessora. Isso a deixa ainda mais maleável e facilita as trocas de borda. As mudanças de direção são mais ágeis e permite que a prancha surfe no pocket das ondas com menos área com mais facilidade.

Rocker

rocker two happy

Com um rocker de entrada mais alto que a Happy, a Two Happy se encaixa muito bem nos pockets apertados e ataca as partes críticas das ondas sem enterrar as bordas. Além disso, ela aceita melhor os drops atrasados sem embicar. Em contrapartida, perde um pouco no poder de remada para entrar nas ondas.

No mais, sua linha de rocker é contínua pelo meio da prancha e ganha mais curva conforme se aproxima da parte de trás. Da mesma forma que a Happy, ela tem rocker de saída alto, o que permite curvas ágeis e arcos fechados para atacar o lip das ondas com precisão.

Quilhas

As quilhas recomendadas para este modelo são as mais alongadas, com mais rake, por conta da alta curva de rocker de rabeta. Modelos como a Mick Fanning e a Carver são excelentes opções para quem usa FCS2. Para os adeptos das Futures Fins, a quilha do Jordy Smith e a R6 Vapor Core são modelos ideais. Lembrando que os tamanhos das quilhas devem respeitar suas preferências pessoais assim como seu peso.

Sensações

A literatura oficial diz: “A Two Happy leva toda a velocidade, fluxo e manobrabilidade da Happy original, mas é mais amigável para uma ampla gama de surfistas e condições.” O feedback da equipe é justamente esse, de que ela é excepcionalmente rápida, responsiva e fácil de remar e surfar.

Definitivamente a Two Happy é um modelo perfeito para o dia a dia na maioria das praias brasileiras, em condições de ondas de meio metro até um metro e meio. Ela pode inclusive ser uma prancha para completar seu quiver, caso você já tenha uma Og Flyer e uma Happy por exemplo. Confira abaixo a Two Happy em ação sob os pés do mago Dane Reynolds.

Deixe uma resposta