fbpx

Lost Rad Ripper: Analisando Pranchas

Lost Rad Ripper capa

Lost Rad Ripper: Analisando Pranchas –

A Lost Rad Ripper é a prancha da vez aqui em nossa série Analisando Pranchas. A Rad Ripper é o último modelo na coleção “Post Modern Retro” da Lost Mayhem Surfboards. Uma derivação direta da Retro Ripper, mas para dias de ondas menores do dia a dia.

Uma prancha com um visual que remete aos anos 80 e que tem feito muito sucesso desde que foi lançada, a Rad Ripper traz conceitos e características muito peculiares. Nos parágrafos abaixo iremos detalhar tudo isso e mostrar por que ela tem sido tão bem aceita mundo afora.

Lost Rad Ripper Nate

Retro Ripper

Lost Reto Ripper

Como dissemos anteriormente, a Rad Ripper foi baseada em outro modelo da Lost, a Retro Ripper. No caso da Retro, ela é uma versão menor da Retro Gun, mas com uma rabeta mais larga. Ela foi desenvolvida para ser uma prancha do dia-a-dia e para dias maiores. Uma prancha excelente para viagens e que aguenta um bom tamanho e uma variedade bem grande de condições.

Dito isso, o shaper Matt Biolos resolveu criar um modelo baseado no mesmo chassi da Retro Ripper, mas nesse caso pensando em uma prancha para ondas pequenas, entre 1 e 4 pés. Foi aí que nasceu a Rad Ripper, uma prancha mais larga e mais reta que as anteriores que simplesmente voa nas condições para as quais foi desenvolvida.

Outline E Bordas

Lost Rad Ripper

De forma similar a outros modelos pensados para ondas menores, a Rad Ripper também possui um contorno mais largo e paralelo que as pranchas de alta performance. Ela conta com seu ponto mais largo empurrado para frente do meio, concentrando uma grande quantidade de volume na parte frontal da prancha. Isso a faz ter um excelente poder de remada, favorecendo os deslocamentos no line up e principalmente a entrada nas ondas.

Na parte do meio, a Rad Ripper conta com bordas bem paralelas que favorecem a fluidez e a velocidade para correr as ondas lateralmente. Por fim, na altura das quilhas laterais ela apresenta uma quebra de linha, também chamado de wing ou bump. Essa quebra faz a área de rabeta diminuir – apesar de ela ser bem larga mesmo assim – e cria um ponto de rotação que facilita a realização de curvas mais fechadas, entregando mais pivô para a prancha. De fato ela é capaz de realizar arcos mais curtos e atacar lips em espaços mais curtos por conta dos wings nas bordas.

Falando em bordas, elas são grossas, mas ao mesmo tempo refinadas. Isso significa que seu vértice está posicionado mais abaixo do meio da borda, o que a faz performar muito bem nas curvas pois corta a água de forma segura e com ótima tração. Além disso, a Lost Rad Ripper tem um deck bem reto, o que oferece ótima flexibilidade e sensibilidade, além de carregar mais volume e consequentemente flutuação mesmo em pranchas bem pequenas.

Concave

Rad Ripper Concave

A configuração de concaves da Rad Ripper é similar a da HS Holy Grail. Começa com um vee abaixo do bico, o que dá mais mobilidade para seu baixo rocker. Depois ele muda para um single concave suave que ajudar a aumentar a sustentação e a geração de velocidade. Já na parte de trás, um pouco a frente das quilhas ele se transforma em um double concave que se aprofunda bastante entre as quilhas, mudando para vee na saída da rabeta. Ambos ajudam a prancha a ser mais maleável e a realizar trocas de direção super ágeis em curtos espaços.

Rocker

Rocker Lost Rad Ripper

A Lost Rad Ripper conta com um rocker de entrada baixo, o que favorece a remada a velocidade instantânea após o drop. Sua linha de rocker segue flat pelo meio, o que ajuda e muita a prancha a fluir sem perder velocidade nas partes mais fracas e mortas das ondas. Por fim, seu rocker de saída é alto, isso favorece demais a manobrabilidade e a capacidade da prancha em apontar para as partes mais críticas e atacar o lip de forma responsiva e ágil.

Quilhas

Rad Ripper quilhas

Esta prancha vem de fábrica com 5 encaixes para quilhas. Se você prefere surfar de tri ou quadri, ela irá te atender independentemente. Neste caso, se você procura realizar manobras mais rápidas e curvas mais curtas e fechadas, prefira surfá-la como triquilha. Caso você busque mais soltura, velocidade e diversão, prefira como quadri.

Como de costume, iremos recomendar alguns modelos de quilhas os quais consideramos ideais para cada prancha. Por ter bastante rocker de rabeta e ser uma prancha solta por natureza, acreditamos que as quilhas com mais rake, ou seja, mais alongadas, são as melhores para ela. Assim sendo, recomendamos os modelos FCS2 Mick Fanning e Futures R8 Legacy no caso das triquilhas.

Já para usá-la como quadri, indicamos modelos mais versáteis, equilibrados e neutros nas laterais, tais como a FCS2 Performer e a Futures John John Florence. Já para as duas quilhas de trás prefira modelos mais retos, que ajudem a prancha a ter mais pivô nas curvas, são eles: FCS2 Reactor e Futures HS1.

Sensações

Certamente podemos dizer que a Lost Rad Ripper é uma prancha super veloz e divertida, que apresenta melhoramentos e atualizações modernos. Sem dúvida ela é adequada para quase qualquer surfista. Digamos que do intermediário até o profissional ela é uma excelente prancha para diversão com performance em ondas pequenas. Sua rabeta squash larga plana por cima de qualquer coisa e segura bem a velocidade durante as manobras, até na menor das marolas de verão. 

Se você gostou da Lost Rad Ripper e conhece amigos que estão procurando pranchas com essas características, encaminhe este artigo para que eles possam aparecer de PRANCHA NOVA no verão. Boas ondas!

Deixe uma resposta

WhatsApp chat