fbpx

Lost Baby Buggy: Analisando Pranchas

Lost Baby Buggy: Analisando Pranchas⠀⠀⠀⠀⠀

Mais uma vez, nossa série Analisando Pranchas traz um modelo ideal para ondas pequenas, a Baby Buggy da Lost (Mayhem).

O Nascimento

Depois de dezoito anos ininterruptos competindo no circuito mundial de surf, o surfista australiano Taj Burrow finalmente resolveu se aposentar do surf profissional. Em todo este tempo, Taj se manteve ativo fisicamente e surfando com pranchas notoriamente bem estreitas, finas e com muita curva de rocker, daquelas que apenas os mais habilidosos surfistas do planeta são capazes de performar em alto nível.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
O ano era 2016, mas alguns meses antes Taj e sua esposa haviam sido agraciados com o nascimento da primeira filha do casal, Arabella. Tendo faltado alguns eventos no final de 2015 para estar em casa no grande dia, Taj pediu para seu shaper Matt Biolos que criasse uma prancha menor e mais divertida do que aquelas super competitivas. Entretanto, ela ainda assim deveria ser capaz de entregar um surf de alta performance em ondas pequenas e médias.
⠀⠀
Ele não queria nada muito extravagante, apenas um modelo que com um pouco mais de volume do que ele estava habituado concentrado em um tamanho menor. O primeiro modelo que surgiu foi a Beach Buggy e ela funcionou muito bem em ondas boas no Tahiti. Mas ainda assim não era exatamente o que eles estavam buscando, apesar de a Beach Buggy ter se solidificado como modelo comercial da marca.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Não satisfeito, Biolos fez alguns ajustes sutis nas medidas, especialmente nas bordas e na espessura da rabeta, pensando em deixas a prancha ainda mais confortável para um pai de primeira viagem cheio de responsabilidades além do surf. Nascia aí a Baby Buggy! No fim das contas, Taj usa este modelo três polegadas menor e com um pouco mais de volume do que sua prancha do dia a dia para ondas boas.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Para Todos Os Níveis

lost baby buggy

Mas afinal, será que uma prancha como esta, criada para um atleta de tão alto nível pode ser usada também por surfistas amadores? A resposta é sim. A Baby Buggy certamente atende a todos os níveis de surfistas, desde o iniciante até o profissional. Os atletas de alto nível acabam a utilizando em tamanhos bem pequenos, como no caso do Taj uma 5’6″. Já para os que não tão habilidosos, esta prancha poder ser utilizada em tamanhos maiores, visto que ela concentra um bom volume em suas medidas mais avantajadas de largura e espessura.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Este modelo pode servir muito bem também para aqueles surfistas que já têm certa experiência, mas andam parados há algum tempo e ganharam uns quilinhos. Dessa forma, a Baby Buggy entregará o volume necessário para estes surfistas sem que a prancha precise ser muito longa. Além disso, ela serve perfeitamente para aqueles que desejam uma prancha alternativa em seu quiver, sem chegar ao ponto de ser um design híbrido ou fish por exemplo, combinando diversão e alta performance.
⠀⠀⠀⠀⠀
Portanto, se você não está pronto para fazer a transição para uma prancha muito alternativa, essa é uma maneira de colocar mais espuma e volume debaixo do peito sem sacrificar as características de alto desempenho.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Características

lost baby buggy

Como já mencionamos anteriormente, todo o contorno da Baby Buggy é mais avantajado. Ela conta com medidas maiores tanto na área do bico, quanto do meio e também da rabeta. Por isso, tem excelente flutuação e poder de remada. Apresenta também muita sustentação sob o pé de trás, mantendo alta velocidade mesmo em partes fracas das ondas.

Bordas

lost baby buggy

Este modelo conta com bordas mais arredondadas e altas, o que deixa a prancha mais acima d’água e entrega excelente velocidade. Isso faz também com que a prancha fique mais solta e não enrosque as bordas durante as curvas. Além disso, ajuda o surfista a consertar eventuais erros na entrada das manobras sem travá-lo completamente como acontece com bordas baixas. Por outro lado, elas fazem com que a prancha não engaje com tanta facilidade nas curvas em altas velocidades, exigindo uma

Fundo

A configuração do fundo da Baby Buggy apresenta um single concave agressivo que começa logo na altura do peito e segue até antes das quilhas. Em seguida ele muda para um double concave suave entre elas. Este single concave faz com que ela tenha muita velocidade e sustentação. Por outro lado, o double no final faz o fluxo d’água seja direcionado para as laterais da quilha central. Isso alivia a pressão e deixando a prancha mais maleável e fácil de virar.

Rocker

Como a maioria das pranchas projetadas para ondas pequenas, a Baby Buggy apresenta uma curvatura de rocker mais plana. Contando com um rocker de entrada baixo na parte de cima e médio na parte de baixo, esta prancha rema muito bem e flui com velocidade logo após o drop. Seguindo com uma curva flat no meio da prancha e um rocker de saída também baixo na rabeta, esta prancha voa em seções fracas e deitadas das ondas. Estas características fazem com que ela tenha muita projeção horizontal e

Quilhas

lost baby buggy

Como este modelo foi pensando para ser usado em condições menos épicas, prefira quilhas mais neutras ou até mesmo mais retas. Se for pegar ondas mais abertas entre 3 e 4 pés, prefira as quilhas com atributos mais neutros como a Kolohe Andino da FCS ou a John John da Futures. Quanto ao tamanho delas, utilize seu preferido entre médio e grande.

Caso você vá usar esta prancha em condições de mar com ondas curtas e rápidas, em que o espaço é pequeno e as curvas precisam ser mais quebradas e ágeis, prefira as quilhas com outline mais reto como a Reactor da FCS ou a P6 Legacy da Futures.

Impressões

Segundo o analista de pranchas do canal americano Surf N Show, Noel Salas, a Baby Buggy é uma das melhores pranchas da atualidade para ondas pequenas entre 1 e 5 pés. Ela oferece a combinação perfeita entre velocidade, controle e fluidez e garante a diversão com performance que se propõe a oferecer. Disse ele: “No geral, o Baby Buggy é extremamente boa, uma prancha épica de ondas pequenas que pode fazer tudo”.

No caso dos testes feitos por Noel (que você pode assistir abaixo), ele utilizou duas pranchas. Ambas foram na construção Carbon Wrap (em EPS), sendo uma delas com quatro canaletas e a outra sem. Apesar de a prancha com canaletas ter funcionado bem também, apresentando bastante tração e drive, a outra com o fundo plano foi escolhida como favorita do especialista. De qualquer forma, existem essas duas variações de fundo que podem agradar àqueles que gostam da sensação das canaletas.

Ela de fato é tudo isso, testada e aprovada por surfistas de alto calibre, a Baby Buggy pode ser sua próxima máquina de manobras em ondas pequenas. Se conhece alguém que esteja procurando uma prancha que faz tudo nessas condições de mar, recomende este artigo e faça um amigo feliz.


Deixe uma resposta