fbpx

Lost Hydra: Analisando Pranchas

lost hydra

Lost Hydra: Analisando Pranchas –

Hoje é a vez de mais uma prancha híbrida e recém lançada em nossa série Analisando Pranchas, a Lost Hydra. Modelo nascido em 2020, a Hydra se mostra uma prancha muito amigável para todos os níveis de surfistas, especialmente em ondas pequenas. Confira abaixo!

Design

Lost Hydra outline

Aproveitando a tendência de diversas das maiores fabricantes de pranchas do mundo, a Lost criou a Hydra pensando numa prancha que fosse capaz de entregar um surf divertido e fácil e ondas pequenas. Ela apresenta detalhes de design comprovados de uma gama de modelos da Lost, tais como a Puddle Jumper, a Bottom Feeder, a Pelagic e, mais recentemente, a RNF-Retro. Construída em torno de um rocker baixo combinado com um outline de prancha fish tradicional, este pequeno monstro marinho é uma arma letal para de mini ondas.

Outline E Bordas

outline hydra

Na parte de cima, seu deck é plano, com bordas mais cheias e suaves. Os decks planos podem permanecer mais finos e ainda reter o volume e são mais flexíveis do que os “dome decks”. Ter mais flexibilidade é muito bom em pranchas de rocker baixo como veremos a seguir.

Seu outline, influenciado pelo snowboard, é chamado de “Pelagic” pela Lost. Esta prancha é bastante curta e larga, contendo bastante volume. Isso facilita com que ela flua muito bem em ondas pequenas e fracas por conta da grande flutuação. Suas medidas de largura são mesmo avantajadas, desde o bico até a rabeta.

Seu bico largo e com bom volume faz com que esta prancha reme muito bem e facilite a entrada nas ondas, assim como o deslocamento do surfista no outside. Na parte traseira, sua rabeta larga oferece muita sustentação sob o pé de trás e faz com que a Hydra ofereça enorme velocidade e principalmente projeção lateral. Isso a faz passar seções e andar muito nas paredes das ondas.

Hydra rabeta
Falando em rabeta, o design dela é bem curioso. É uma espécie de swallow/double diamond, ou seja, ela conta com duas pontas no estilo das rabetas diamond, mas com um swallow entre elas. Isso faz com que ela tenha uma performance solta nas manobras de lip, mas ao mesmo tempo as duas pontas oferecem muita tração e segurança nas cavadas e rasgadas. Para completar, ela tem uma discreta quebra de linha no outline mais ou menos na altura atrás das quilhas laterais, o que ajuda a prancha a fechar o arco das curvas e manobrar de forma mais vertical.

Concave

Concave Hydra

Outro fator curioso nesta prancha é o fundo. A Lost Hydra apresenta uma configuração inusitada próximo das bordas em seu fundo. Até em torno de três polegadas das viradas das bordas, seu fundo é flat. A partir dali ele ganha um caimento, onde ficam seus concaves. Ou seja, os concaves dessa prancha não vão até as bordas, eles param antes. Isso faz com facilita as trocas de borda e deixa a prancha mais maleável. Note na foto abaixo o que estamos falando:

Fundo hydra

Agora, falando dos concaves, a Hydra conta com um single concave moderado desde perto do bico ate a frentes das quilhas onde muda para double concave entre elas. Já na altura da quilha central vira para um vee bottom. Essa combinação, como já vimos em outras pranchas, faz dela uma prancha super veloz e manobrável ao mesmo tempo. O single concave direciona o fluxo d’água para trás e gera bastante sustentação sob o pé da frente. Já o double + vee na rabeta fazem com que ela fique mais solta e responda muito bem nas trocas de direção, sendo bastante responsiva.

Rocker

Rocker Hydra

Sua curvatura geral é bem flat. O bico conta com um leve rocker para que ela não embique nos drops ou na volta das manobras mais críticas, mas ainda ainda é baixo. Esse tipo de rocker no bico ajuda a prancha a remar ainda melhor e favorece o surfista a pegar muitas ondas. Seu rocker segue flat no meio e baixo na rabeta. Isso faz com que ela mantenha muita velocidade, principalmente nas parte mais flat das ondas, fornecendo um surf super fluido e projetado para frente.

Quilhas

Hydra triquilha
A Lost Hydra vem por padrão com 5 encaixes de quilhas, entretanto e preferência é que seja usada como quadri. Apesar de alguns surfistas terem relatado boas performances com 3 quilhas, a maioria prefere surfá-la com 4. Isso por conta de sua rabeta bem larga e por ser uma prancha extremamente curta. Como quadri, a Hydra tem ainda mais velocidade e fluidez nas marolas. De qualquer forma, se você prefere mesmo o feeling de surfar como triquilha, fique tranquilo que também traremos recomendações abaixo.

Como tri, prefira a combinação 2+1, da mesma forma como recomendamos na Sharp Eye Modern 2. Esse tipo de jogo de quilhas dá muito drive, segurança e projeção nas cavadas por conta do tamanho das quilhas laterais, que são bem grandes. Já a quilha do meio pequena funciona mais como um estabilizador, gerando pouco arrasto, mas ajudando a prancha ter mais pivô, atacando o lip e as partes críticas em curvas mais fechadas. Nesse caso, indicamos os modelos Mark Richards Twin da FCS e a T1 Alpha Twin da Futures.

Lost Hydra quadri

Caso você realmente prefira usá-la como quadri, recomendamos os modelos Rasta Quad da Futures e Performer Quad  da FCS. Ambos são neutros e bastante versáteis e irão atender às necessidades da Hydra em qualquer condição de mar.

Sensações

Clique aqui e assista à análise completa da Hydra feita pelo especialista Noel Salas

A Hydra é uma destruidora de ondas minúsculas. Ela é a fusão de mais de 25 anos de desenvolvimento de pranchas fish e híbridas para ondas pequenas. Sem dúvida ela é uma prancha muito democrática e atende a todos os níveis de surfistas. Desde os iniciantes, que podem utilizá-la em tamanhos maiores e cheios de volume, até os profissionais que irão usá-la bem curta, para que seja arisca e se encaixe bem no pocket das marolas.

Aproveite para completar seu quiver com a Lost Hydra. Ela certamente irá fazê-lo divertir-se nas marolas do verão, naqueles mares que você talvez nem entrasse se tivesse apenas com sua prancha performance.

 

Deixe uma resposta

Abrir conversa