fbpx

Surf & Saúde: As Principais Lesões Dos Surfistas

surfista lesão

Surf & Saúde: As Principais Lesões Dos Surfistas

Chegamos ao terceiro episódio da série Surf & Saúde, e desta vez o assunto são as principais lesões dos surfistas. Este é um tema amplo e que abrange uma gama enorme de possibilidades, confira aqui quais são e como evitar as mais comuns delas.

Sabemos que o surf é um esporte de risco, principalmente por termos que lidar com a força da natureza. Mais ainda, nossa arena de prática está sempre em movimento e por muitas vezes pode ser imprevisível. Isto posto, é interessante pensar que, de todos os perigos potenciais envolvidos no surf – as ondas, o fundo, os outros surfistas, os animais marinhos, etc – mais da metade das lesões do surf são causadas por nossas próprias pranchas.

Não há dúvida de que surfar é maravilhoso, isso todos sabemos, mas como qualquer outro esporte radical, ele tem seus riscos. Foi por isso que resolvemos escrever sobre as principais leões dos surfistas e como minimizar a chance de elas acontecerem.

Lesões Mais Comuns


Em recente entrevista para o site americano Surfline, o médico Dr. Mark Kozuki mencionou algumas das principais lesões, além daquelas causadas por fatores externos (pancadas por exemplo), mas sim pela simples prática do surf.

Segundo ele, lesões na coluna são muito comuns em surfistas, principalmente na região lombar ou na região cervical. Isso se deve à posição estendida ou arqueada ao remar na prancha. Isso causa rigidez em muitos músculos ao redor da coluna. Além disso, a rotação repetitiva, principalmente quando em apenas uma direção, causa ainda mais rigidez e desequilíbrio muscular.

Lesões no joelho também são muito comuns, particularmente na parte interna do joelho ou no aspecto “medial”. O LCM (ligamento colateral medial) e o menisco medial são as estruturas mais comumente lesadas. Lesões no joelho geralmente ocorrem devido à compressão da onda ou quando uma perna escorrega da prancha e a outra perna permanece na prancha.

Lesões no tornozelo também são bastante prevalentes devido a realização de manobras aéreas e principalmente voltas de forma inadequada. As entorses de tornozelo estão se tornando mais comuns por conta das manobras aéreas estarem cada vez mais altas e com maior grau de dificuldade.

Outras Lesões Comuns

Cortes

corte coral
Cortes são lesões comuns no surfe e geralmente são causados ​​pelas quilhas da sua própria prancha, de pranchas de outros surfistas e também pelo reef ou pelas pedras. De fato, um arranhão pode não parecer grande coisa, mas se não for tratado, pode se transformar em um infecção séria (estafilococos  ou hepatite A nos casos mais graves).

Vale ressaltar que uma infecção por estafilococos não é brincadeira. Para se ter uma ideia, em torno de 20 mil pessoas no mundo morreram em decorrência de infecções dessa bactéria em em 2017. Essas infecções por estafilococos são causadas por uma bactéria cientificamente chamada Staphylococcus, que pode ser mortal se entrar em sua corrente sanguínea.

Dessa forma, caso você sofra algum corte no mar, saia da água imediatamente para conferir o tamanho do estrago. Se for algo simples e superficial, limpe bem a região com água filtrada ou mineral, uma escova de dente macia e nova e sabonete antisséptico. Posteriormente aplique uma pomada antibiótica, principalmente se o corte for de corais ou pedras. Por fim, consulte um médico para saber que pomada continuar passando e se o ferimento for mais grave, como tratar e que antibiótico tomar. Uma coisa é certa, nunca passe limão. Ele danifica ainda mais a pele que acabou de ser machucada.

botinha reef surf
Por fim, as lacerações podem ser evitadas ou pelo menos minimizadas com o uso de roupas de proteção feitas de neoprene. Em locais com fundo de coral e pedra, é altamente recomendado o uso de botinhas de neoprene e borracha para a proteção dos pés. Também é de suma importância praticar a prevenção de riscos, evitando surfar em horas erradas da maré e principalmente sabendo o que está fazendo e respeitando seus limites e habilidades. Para maiores detalhes sobre como limpar e tratas cortes de coral e pedras, confira aqui!

Traumas Na Cabeça

trauma cabeça surf
Em algum momento na vida de um surfista ele irá bater a cabeça durante o surf. Seja em sua prancha, seja no fundo do mar, seja em outros surfistas ou em suas pranchas. Na maioria das vezes esses traumas são leves e não passam de sustos. Mas quando eles são mais graves, podem ser realmente sérios e exigem cuidados imediatos. Se isso acontecer, saia do mar e procure atendimento médico imediatamente.

Para os iniciantes, o ideal é usar uma prancha de espuma, macia, para evitar lesões e traumas em uma fase de aprendizado. Já para os mais experientes, procure sempre se afastar de sua prancha quando perceber que irá cair. Em casos de ondas mais fortes e rasas, um capacete é sempre muito bem-vindo, afinal, proteção nunca é demais.

capacete surf

Lesões Oculares

lesão ocular surf

Outro risco representado por sua própria prancha é ferir os olhos. As pontas das pranchas são afiadas e pontiagudas e podem causar graves lesões oculares. Para sua própria segurança e a de outros surfistas, use um protetor de bico macio e emborrachado. Além disso, tente não surfar muito perto de ninguém. Sabemos que na maioria dos casos isso é quase impossível, mas se for possível, mantenha certa distância, pois já basta sua própria prancha, ela é perigosa o suficiente.

Se você sofrer uma lesão ocular que cause perda de visão ou sangramento, procure tratamento imediatamente. Lesões oculares não tratadas podem causar perda permanente da visão.

Lesões Auriculares

ouvido surfista

Muito comuns, as lesões auriculares afetam a maioria dos surfistas em algum momento da vida. Seja um tímpano estourado em algum caldo de alto impacto, seja uma otite causada pela água do mar, nós surfistas temos sim que cuidar muitos dos nossos ouvidos.

Mais do que situações agudas como as descritas acima, há um problema crônico que acomete muitos surfistas mundo afora. Ele se chama “ouvido de surfista” no linguajar coloquial, e ocorre mais comumente com pessoas que surfam em águas geladas e com bastante incidência de vento.

Como o passar do tempo essa exposição e contato com a água gelada e o vento causa crescimentos ósseos no ouvido externo, que são chamados de exostoses. Esses calos ósseos são gerados como forma de defesa às estruturas internas do nosso ouvido pelo nosso próprio organismo. Com isso, ao longo de anos eles continuam crescendo até que podem acabar bloqueando 100% do canal auricular.

protetor de ouvido
Para aqueles que sofrem desse problema de forma mais grave, como este que vos escreve aqui, a solução é realizar uma cirurgia para a remoção dos calos, devolvendo aos ouvidos o formato e o diâmetro perfeito dos canais. Este problema pode causar muitos episódios de otite e ainda a perda da capacidade auditiva. Para evitar que isso ocorra, devemos sempre usar protetores de ouvido específicos para o surf, que tanto podem ser o excelente produto da SurfEars como pode ser feito sob medida em sua cidade.

Se você tem dores de ouvido com certa frequência, procure um médico otorrino para sobre a saúde dos seus ouvidos e siga as instruções que lhe forem passadas.

Animais Marinhos

queimadura água viva
A primeira coisa que você provavelmente pensou foi em tubarões. Embora os ataques de tubarão ocorram, eles não são muito comuns. Ferimentos por águas-vivas, caravelas e arraias são muito mais recorrentes. Para tratar um ferimento de água-viva, ao contrário da crença popular, você deve lavar a região afetada com a própria água do mar. Jamais use urina ou água doce, pois a situação pode ficar ainda pior e espalhar as toxinas pelo corpo. Depois, aplique vinagre e se precisar tome um comprimido de antialérgico.

Caso sinta necessário, procure atendimento médico urgente, principalmente se sentir falta de ar ou souber que tem algum tipo de alergia a isso. Agir rápido nessa hora pode te salvar de um choque anafilático que pode ser fatal. O mesmo vale para ferimentos de arraia e ouriços. Mergulhe a área em água quente e vá ao médico para tomar alguns antibióticos e retirar corpos estranhos caso seja necessário.

Infelizmente, não há muito que possamos fazer para evitar o contato com criaturas marinhas. Afinal, estamos no habitat deles e nós é quem somos os forasteiros por ali. Mas é claro que, caso haja uma bandeira roxa na praia indicando a presença de águas-vivas e caravelas no mar ou placas indicando tubarões, não precisamos nem dizer que o melhor a se fazer é ir até o café mais próximo e deixar o surf para outro dia.

Considerações

Em primeiro lugar, se possível, os treinos pré-surf ajudam muito a deixar o corpo em forma para choques e movimentos repentinos de músculos e articulações. Isso pode ajudá-lo a evitar coisas como entorses lombares, lesões cervicais, ombros deslocados, lesões no joelho e tornozelo. Também podem ocorrer fraturas se o corpo entrar em contato com superfícies duras com muita força.

Cãibras também são muito comuns e podem colocá-lo em perigo, principalmente se você estiver surfando em ondas grandes. Se você tiver câimbras, fique calmo e peça ajuda.

É importante consultar um profissional para cuidar adequadamente das lesões, pois elas podem afetar o resto do corpo. Ao colocar seu corpo totalmente de volta aos 100%, você melhorará seu desempenho e também evitará outras lesões. No mais, cuide-se bem e boas ondas!

Deixe uma resposta

WhatsApp chat