fbpx

Conheça A Lost Surfboards

História Lost Surfboards

Conheça A …Lost Surfboards –

Dando continuidade aos nossos artigos dedicados às grandes fábricas de pranchas, chegou a vez da …Lost Surfboards. Esta marca excêntrica e consagrada, sediada no sul da Califórnia, a …Lost é hoje responsável por produzir boa parte do quiver da elite mundial de surf.

O Início

A marca …Lost Surfboards teve início em 1985, com o agora lendário shaper Matt Biolos e um grupo de amigos de escola no sul da Califórnia, mais precisamente na região de Irvine. Ali eles fundaram o “time perdido” e passavam o ano praticando snowboarding no Mt. Baldy, andando de skate em Upland e Pipeline e surfando em Dana Point. O “Team …Lost” começou então a rabiscas seu nome em livros, camisetas, mesas e, eventualmente, uma marca de roupas nasceu.

O Fundador

Matt Biolos Lost

Matt Biolos, conhecido como Mayhem, apelido que veio de sua banda punk do colégio chamada Mayhem Ordinance, começou a lixar pranchas de surfe na Surfglass e na Herbie Fletcher Surf Shop recém saído do colégio em 1987. Ele fez sua primeira prancha de surfe nessa época e chamou-a de Ratz Ass. Sua segunda prancha foi rotulada de caos – obviamente não levando as coisas muito a sério.

Naquele mesmo ano, já estabelecido na paradisíaca San Clemente, Matt shapeou 20 pranchas, mas de fato não havia muitas pessoas encomendando suas pranchas. Sendo assim, para ganhar dinheiro ele continuou a lixar pranchas e começou a pintá-las também. Foi aí que suas artes chamaram a atenção de surfistas consagrados como Christian Fletcher e Matt Archbold. Mayhem escrevia sempre “Team …Lost” nas pranchas, que era o nome de sua crew, que não era interessada em ganhar campeonatos na escola, jogos de futebol e etc, e sim, queriam saber apenas de snowboard, skate, surf e Punk Rock. O “team Lost” eram, na verdade, surfistas, skatistas e snowboarders na sua essência, e não atletas.

O caminho não teve como ser outro, o nome …Lost pegou. Trabalhando em um ambiente cercado de bons shapers, como Timmy Patterson, Jim Fuller, Terry Senate e Randy Sleigh, além de ótimos surfistas, Matt conseguiu aprimorar ao máximo suas habilidades como shaper.

Ainda por sorte, logo no começo da carreira de Mayhem, Christian Fletcher apareceu na capa da Surfing, dando um aéreo com uma de suas pranchas, e assim, Mayhem começou a se destacar como shaper. Pouco a pouco, atletas profissionais começaram a encomendar pranchas com ele, já que os surfistas mais expressivos da Califórnia, como Christian Fletcher e Matt Archbold, já as usavam.

Consolidação Da Marca …Lost

Pranchas lost

Com o passar dos anos, os amigos de Matt o incentivavam a fazer camisetas com suas ideias e desenhos para vender. Foi aí que em 1992, alimentado por sugestões de Timmy Patterson e Johnny Monson, Matt começou a colocar sua arte em camisetas com o logotipo …Lost. Para completar, seu companheiro de quarto e hoje sócio, Mike Reola, o ajudou a lidar com o lado comercial do negócio. De fato ele tinha pouco ou nenhum dinheiro, mas com a ajuda de vários amigos na forma de pequenos empréstimos, o quintal do pai para serigrafar as camisetas, um carro em troca de aluguel, e ajuda de todos para divulgar a marca nas escolas, Matt deu o impulso que faltava à …Lost.

Um ano depois, em 1993 a …Lost fez o seu primeiro vídeo de surf, intitulado Momentum 3, que apresentou as equipes de surf, skate e snowboard, juntamente com todos os que viviam com o “…Lost Crew”, personagens esses todos fora do padrão. O vídeo foi renomeado Dysfunctional e terminado por Taylor Steele. Esse filme era para ser uma tiração de onda, mas sua popularidade levou a …Lost a produzir o seu primeiro vídeo real, intitulado What’s Really Goin’ On, em 1995 marcando o inicio do grande sucesso que a marca viria a ter.

Em 1994, a …Lost contratou Chris Ward, seu primeiro surfista profissional (Chris tinha apenas 15 anos). O sucesso meteórico de Ward chamou a atenção e dois anos depois, em 1996, outra empresa de roupas apareceu e ofereceu a Chris Ward um salário anual de seis dígitos para quebrar o contrato exclusivo com a …Lost.

Foi aí que Ward e a …Lost reajustaram seu contrato e a empresa ficou apenas como patrocinadora de pranchas de Chris. Desde aqueles primeiros dias, Chris se tornou um dos surfistas mais interessantes do mundo. Hoje a …Lost continua a apoiar atletas e eventos de skate e surf, assim como snowboard e outros esportes. Matt e Mike, enquanto dirigem a empresa com o sócio Joel Cooper, continuam a supervisionar todo o marketing e o produto.

A Grande Virada

Em 1999, Joel Cooper executivo da Gotcha, entrou como sócio de Matt e Mike na …Lost, e passou a construir de forma agressiva a distribuição internacional e o sistema de licenciamento da marca ao redor do mundo. Ela hoje é a única das grandes marcas que é controlada por sócios e não por acionistas, com a clara intenção de preservar a marca e mantê-la simplesmente como ela é, a …Lost, uma marca Californiana fora dos padrões, quebrando regras e considerada “a ovelha negra” do surf.

Nas Palavras De Matt Biolos

“Desde aqueles primórdios selvagens, a … Lost se espalhou lentamente pelo mundo. A empresa amadureceu internamente, mas continua a seguir a mesma filosofia com que começou. O pensamento de Lost agora flui através de sua arte, música, filmes, atletas e roupas ”

Duas Atuais

Lost Driver 2,0

Hoje Matt também é um dos mais consagrados shapers do mundo e faz as pranchas de expressivos nomes da elite do surf mundial como Kolohe Andino, Mason Ho, Yago Dora, Michael Rodrigues, Griffin Colapinto e a tetracampeã mundial Carissa Moore. Inclusive, recentemente a …Lost venceu o programa Stab In The Dark da revista australiana Stab em 2019, com a excelente Driver 2.0, prancha muito usada hoje pelos atletas de ponta da marca.

Aliás, poucos surfistas ficariam surpresos ao saber que a …Lost Surfboards é a maior fabricante de pranchas de surf dos Estados Unidos. Em uma indústria tão competitiva e em rápida evolução, tal feito não pode ser um acaso. Certamente isso levou anos de entrega consistente, esforço, qualidade e consciência de mercado para ser atingido. Foi necessária uma combinação de inovação, emprego de tecnologia de ponta, uma cadeia de suprimentos perfeita e um foco nas necessidades dos clientes para que a marca chegasse onde está hoje.

Quer conhecer melhor o trabalho da marca e os dezenas de modelos diferentes de pranchas que ela produz? Acesse nosso site e converse com nossos consultores para saber qual prancha da …Lost se adequa melhor para você neste momento. Aproveite e mande este artigo para seus amigos que também são admiradores da marca.


Deixe uma resposta

WhatsApp chat