fbpx

Pyzel High Line: Analisando Pranchas

pyzel highline

Pyzel High Line: Analisando Pranchas –

A High Line é o modelo mais recente lançado pela consagrada marca havaiana Pyzel, e como não podia deixar de ser, trazemos aqui nossa impressão sobre ela em nossa série Analisando Pranchas.

Assim como você, nós também amamos novidades no mundo do surf, principalmente no que diz respeito a novos modelos de pranchas. Toda vez que uma grande fabricante lança um novo modelo, buscamos conhecê-lo o mais rápido possível para podermos apresentá-lo para você e toda a comunidade surfística do Brasil.

Pois esse é o caso da Pyzel High Line. Uma prancha que promete ser a preferida do dia a dia entre os surfistas brasileiros. Ela se encaixa perfeitamente nas ondas da nossa costa, de maneira geral. Naqueles dias de ondas entre 2 a 4 pés é quando a High Line irá se destacar e entregar seu melhor desempenho.

Desenvolvimento

jon pyzel

Como a grande maioria dos modelos de pranchas atuais, a High Line também foi desenvolvida com o importante feedback dos atletas profissionais patrocinados pela Pyzel. Entre eles, o australiano Jack Freestone, os irmãos havaianos John John e Nathan Florence, a australiana Tyler Wright e o português Nic Von Rupp. Além deles, também participaram os surfistas equipe júnior da equipe.

Normalmente, novos modelos de pranchas são projetados com base em outros já consagrados. Não teria como ser diferente, afinal, por que não aproveitar as melhores características de outros modelos, não é mesmo?

No caso da High Line, ela foi baseada no popular e ultra moderno e versátil modelo 74, aquele mesmo que foi vencedor do Stab In The Dark 2016 com Dane Reynolds.

Outline E Bordas

O outline da High Line é bem característico de pranchas de alta performance. Ela conta com seu ponto mais largo ligeiramente puxado para baixo do meio, assim como acontece com a Al Merrick Fever por exemplo. Isso faz com que a prancha performe de forma mais vetical nas partes críticas das ondas. Além disso, apresenta uma quebra de linha nas bordas, na região próxima das quilhas, fazendo com que adicione mais drive e pivô, gerando curvas mais fechadas para um surf vertical.

Da mesma forma que o consagrado modelo 74, a parte de cima da prancha é um pouco mais flat, com pouco dome deck. Isso faz com que ela tenha maior volume em direção às bordas. Entretanto, as bordas em si são refinadas e baixas, mantendo-as sensíveis e cravadas na parede das ondas.

Concave

A combinação de convaves no fundo da High Line é bem simples. Ela tem um single concave moderado por toda sua extensão, contando com um double concave entre as quilhas. Essa combinação de contornos de fundo entrega excelente velocidade e sustentação sob a prancha, ajudando na aceleração da prancha principalmente em partes mais fracas. Além disso, o double entre as quilhas auxilia o surfista a efetuar as trocas de borda e direção de maneira responsiva e fluida.

Rocker

A curvatura geral da High Line pode ser considerada média. Seu rocker de entrada é médio, favorecendo seu encaixe em partes bem íngremes e críticas das ondas. Essa característica ajuda também na realização de drops atrasados sem embicar. Por outro lado, perde um pouco de poder de remada e entrada nas ondas.

Seu rocker de saída, ou de rabeta, é médio, equilibrando bem velocidade, tração, drive e responsividade nas mais diversas condições de mar e seções das ondas. Quando comparada com o modelo Radius, visto que são similares, a segunda tem ainda mais rocker de forma geral, sendo mais recomendada para onda bem em pé e buraco, tais como a Praia Brava de Itajaí por exemplo.

Podemos então dizer que o rocker da High Line é um pouco mais flat que o da Radius, o que a permite manter a velocidade em partes flat e fracas das ondas, entretanto, ainda tem curva o suficiente para o surfista fazer um surf vertical com ela.

Quilhas

am2 fcs fins

Por ser uma prancha pensada para ondas pequenas e médias, o ideal é que você utilize as quilhas que está mais habituado nestas mesmas condições de mar. Um modelo certeiro e super versátil é a AM (Al Merrick). Aqueles mais leves, de até 70kg, podem usar a AM1, que é o tamanho médio. Já para os mais pesados, a AM2 (tamanho grande) encaixa melhor. Ambos modelos de quilhas contam com base mais larga e ponta mais fina, sendo a quilha do meio menor que as laterais. Isso entrega ótima combinação de drive, tração, velocidade e soltura.

Sensações

john florence high line

Quer maximizar o seu desempenho no surf mesmo quando as ondas não estão perfeitas? Então a High Line é uma excelente opção de pranchinha de alto desempenho para levar seu surf ao próximo nível. Resumindo, a High Line é uma ótima prancha de alto desempenho para ondas boas a abaixo da média. Ela certamente o ajudará a tirar o máximo proveito de suas ondas do dia a dia e a elevar sua performance no surfe.

Importante lembrar que o dimensionamento de estoque da High Line tem um pouco mais de largura e volume por tamanho, ajudando a flutuar mais em ondas fracas. Sendo assim, recomendamos que você utilize-a com o mesmo volume de sua prancha de surfe favorita.

 

Deixe uma resposta

Abrir conversa