fbpx

Surfe Melhor: Dropando Confiante

Surfe Melhor: Dropando Confiante –

Dropando Confiante é o tema que dará continuidade à nossa série Surfe Melhor e também complementará o artigo anterior, Angulando O Drop. Neste conteúdo você encontrará informações valiosas sobre como dropar melhor e mudar seu surf a partir daí.

Há uma manobra no surf que muitas vezes é negligenciada pelos surfistas. Falamos disso brevemente no artigo anterior, e hoje iremos dar maior detalhamento a ela, o drop. A primeira e talvez mais importante de todas as manobras, o drop define basicamente todo o restante da performance de um surfista em uma onda.

Momento De Tensão

surfe melhor dropar

Teoricamente, dropar uma onda é algo simples. Entretanto, o fato de as ondas estarem em movimento e serem diferentes umas das outras já seria algo suficientemente complexo para realizarmos esta manobra. De fato, uma vez aprendida, raramente a mecânica deste movimento é esquecida, mas como tudo no surfe ela só é aprendida por repetição. 

Sabendo disso, devemos reforçar a tensão que permeia o momento do drop. É nesta hora em que estamos na parte mais alta da onda, muitas vezes de cabeça para baixo, debaixo do lip e no ponto em que a onda tem mais energia e velocidade. Sem dúvida isso gera uma apreensão natural e nosso instinto de defesa vem à tona.

Instinto De Defesa

Quando se trata de drops, especialmente em ondas ocas, a maioria de nós tem um instinto claro quanto ao que é mais apropriado. Nesta hora é como se estivéssemos sendo içados pela onda, por um poder incomum do qual não temos controle, além de que abaixo de nós há muito pouco além de apenas ar. A tendência do ser humano é reduzir o risco e, portanto, acabamos dropando receosos, apoiados principalmente na rabeta da prancha, mantendo o bico para cima e impedindo uma queda livre. 

De fato, essa nossa abordagem natural de defesa comum para uma queda tardia geralmente tem um resultado previsível. Tentando reduzir o risco, você interrompe seu progresso, fica preso no lip, cai na base tarde demais e com pouca velocidade para ganhar a seção. Isso na melhor das hipóteses, porque em muitos casos somos simplesmente lançados diretamente do lip para a base, longe da prancha, para um caldo daqueles horrendos.

Contra-intuição

Você pode estar ser perguntando: “o que é isso”? Bem, primeiramente devemos dizer que contra-intuição é exatamente o oposto do senso comum. Ela nada mais é do que uma abordagem correta para as situações em que seu instinto inicial, o do sendo comum, tende a colocá-lo em problemas. É certo que o surf bem feito é cheio de atos contra-intuitivos. Isso vem desde a época em que só havia longboards. Por exemplo, seu instinto em uma prancha de longboard te faz crer que avançar na prancha até a frente fará com que ela acelere, correto?

Na verdade, avançar em um longboard até o bico faz com que ela perca velocidade. Por exemplo, realizar um hang-ten faz com que a rabeta da prancha se agarre à parede da onda logo abaixo do lip, na zona de maior energia dela. Isso a faz diminuir sua velocidade e acompanhar a velocidade exata da onda.

Da mesma forma, o que seu instinto lhe diz em um drop atrasado é: “aponte o bico para cima e para trás”. Fazemos isso porque temos medo de cair de cabeça, embicar, enfrentar aquela posição de certa forma desconfortável de queda livre. Na verdade esse posicionamento não ajuda em nada sua prancha a fazer o que você deseja. Certamente, a ação que parecia a princípio errada, muito errada, é de fato a mais correta.

Lição

Em um drop atrasado a borda de dentro da prancha e sua curva de rocker são as que comandam o show. Posicione-a da maneira correta e ela fará boa parte do trabalho por você. Não há necessidade de pisar com força sobre as quilhas para virar e posicionar a prancha. Na maioria absoluta das vezes, botar para baixo no ângulo certo e entrar na onda por debaixo do lip é a melhor – talvez a única – maneira de completar um drop atrasado em uma onda oca e tubular. 

 

Se você observar atentamente alguns dos drops tardios mais insanos dos últimos tempos, como foi em Teahupoo no CT de 2019, verá exemplos destas ações contra-intuitivas: em vez de recostar-se para trás apoiando-se na rabeta, os surfistas se inclinam para frente e para baixo.

Na verdade, eles estão pisando basicamente no pé da frente. Às vezes antes mesmo de o pé traseiro tocar a prancha eles já estão realizando o drop angulado e de cabeça para baixo, com uma das mãos na parede da onda e a outra na borda externa da prancha. Muitas vezes, especialmente de backside, a rabeta da prancha está mais alta que a cabeça do surfista.

Mas por que eles fazem algo aparentemente tão insano em uma situação tão íngreme e difícil? A resposta é simples: eles perceberam a importância de encaixar a borda interna/frontal na face da onda o mais rápido possível. Se eles conseguirem cravá-la na parede da onda, o resto da prancha seguirá essa mesma linha, por baixo do lip, no tubo, na parede ou em qualquer outro lugar que o surfista decidir que é melhor.

Como E Por Que Funciona?

  • Gravidade: um dos principais objetivos no momento do drop é livrar-se do lip e angular a prancha o mais rápido possível. Por que não recrutar a força mais poderosa do Universo? A gravidade leva você mais rápido até onde quer chegar, portanto não lute contra ela. Pelo contrário, aproveite esta energia que te leva para a base da onda e use-a em seu favor. 
  • Rocker: o rocker de bico nas bordas – a extremidade frontal do Eixo-X – se encaixa perfeitamente na curvatura alta das ondas no momento do drop. Como a maior parte do rocker fica na metade da frente da prancha, encaixe a borda interna na parede e sua prancha naturalmente encontrará seu caminho ao longo dessa curva assim como uma faca afiada encontrando caminho através da manteiga.
  • Movimento: em quase qualquer situação no surf você quer evitar as quedas. Se você não estiver realmente comprometido com seu drop e ainda hesitar no lip, certamente terá problemas. Principalmente porque enquanto todo o resto está se movendo, você não está. Se você estiver de fato comprometido e em movimento, em harmonia com a velocidade da onda que se forma, tornará sua vida muito mais fácil.

Dicas

Use o pé da frente: se você está tendo problemas para se levantar na prancha provavelmente está tentando colocar o pé de trás primeiro, esqueça! Coloque o pé da frente bem firme e deixe a parte de trás encontrar o caminho para a rabeta a seu tempo. Não se preocupe. Incline-se para a frente na prancha, e foque seu peso no pé da frente e na borda interna, lembre-se do Eixo-x.

Mantenha seu centro de gravidade baixo. Em um drop atrasado, onde todo o seu momento conta, toda pequena mudança de peso fará uma grande diferença na situação. Flexione seus joelhos e quadris, mantenha-se próximo à prancha. Uma postura muito ereta aumentará as chances de você cair ou pesar demais a rabeta, atrasando toda a descida.

Preste atenção na parafina na base do pé dianteiro. Geralmente temos o pé traseiro bem apoiado no deck e assim achamos que está tudo certo. Mas não é bem assim, observe onde o pé da frente está marcando a parafina e certifique-se de manter esta região sempre bem parafinada e raspada. Mais do que isso, amplie a área coberta com parafina, pois haverá momentos em que uma mudança na posição dos seus pés se fará necessária. Isso acontecerá especialmente nos dias em que há ondas maiores e mais tubulares, em que precisamos  realizar drops atrasado com mais frequência.

Se você conhece alguém que pode se beneficiar deste conteúdo e que irá ajudar a evoluir seu surf, encaminhe este artigo para que ele possa desenvolver novas habilidades no drop e sentir-se cada vez mais confiante.

 

 

Deixe uma resposta

Abrir conversa