fbpx

Surfe Melhor: Como Realizar O Layback

Surfe Melhor: O Layback –

No episódio de hoje da nossa série Surfe Melhor vamos falar sobre o Layback, um dos movimentos mais clássicos do surf. Dizemos movimento por o layback não é uma manobra em si, mas um estilo diferente de fazer manobras. 

Um dos grandes desafios do esporte é que para atingirmos novos níveis de habilidade somos exigidos a sair da nossa zona de conforto. No surf, isso significa “vacas”, ou melhor, caldos. Na verdade levar umas vacas pode ser divertido, mas também pode ser totalmente desesperador, especialmente se estamos pegando poucas ondas na sessão. Mesmo assim, sempre acho que devemos pensar naqueles caras que foram pioneiros em cada fase de crescimento das técnicas do surf. Imagine como eles sofreram para aperfeiçoarem sua arte e serem hoje considerados “os pais” de tais manobras. 

A Criação Do Layback 

Os primeiros registros do layback remontam ao final dos anos 70 e a um surfista super radical para a época. Ele era um garoto da Gold Coast australiana chamado Joe Engel e abusava das inúmeras direitas da região para aperfeiçoar suas manobras inovadoras.

surfe melhor layback

O sempre criativo Joe criou um movimento em que parecia cair da rabeta da prancha, mas não completamente. Era uma forma muito específica de cair: o braço dianteiro estendido para cima, o braço traseiro para baixo e atrás, os pés ainda na prancha, mas a parte superior do corpo voltada para a face da onda. O resultado foi uma espécia de manobra híbrida que foi rapidamente rotulada como layback. Ela passou a ser executada em nível profissional por ícones daquela época como Peter Townend, Simon Anderson, entre outros.

surfe melhor layback

Hoje em dia, muitos surfistas realizam diversas manobras no estilo layback. Desde rasgadas, batidas e cutbacks na face das ondas até aéreos. Sem dúvida um dos surfistas que mais dominaram o layback em todos os tempos foi o lendário Andy Irons. Ele era um mestre nisso, sabia exatamente quando aplicar a técnica. Geralmente realizada em grandes seções da onda quando estava em alta velocidade, colocando muita pressão na borda externa traseira da prancha, abrindo enormes leques d’água com muita amplitude e controle. 

Mas Como Isso Funciona?

surfe melhor layback

Boa pergunta. Da mesma forma que falamos sobre dropar confiante em um artigo recente, o layback é outro movimento de contra-intuição. A maioria dos surfistas tende a inclinar-se instintivamente para frente em suas curvas. Tudo bem com isso, mas inclinar-se para a frente tem seus limites, principalmente quando você está tentando colocar peso na rabeta da prancha.

Cair para trás, quando feito corretamente, faz exatamente isso: coloca quase todo o seu peso no terço final da borda externa, empurrando a prancha em uma curva fechada por meio do rocker e do outline da prancha. Enquanto isso, simultaneamente levanta a borda interna do bico para cima d’água (novamente o Eixo-X aparecendo por aqui).

Você pode até pensar que cair para trás lançaria a prancha para longe, deixando você para trás. Em vez disso, o que acontece é que você se torna como uma alavanca da prancha. Como a queda faz com que a prancha vire, ela volta quase que instantaneamente para seus pés. 

Um uso mais sutil do layback pode ser visto no início de muitos cutbacks de surfistas profissionais. Eles aceleram pela parede até a parte mais fofa da onda e então deixam o braço traseiro cair ligeiramente para trás e através da linha de corte da onda. É quase imperceptível, a menos que você esteja procurando por isso. Esta ligeira mudança de peso define o peso no pé de trás e inicia a curva, eles então continuam com uma rotação estendida dos ombros e finalizam com uma mudança de peso para a frente, seguindo na direção da onda novamente. Se você conseguir aplicar esta técnica pode ter certeza que completará os cutbacks mais incríveis que você já mandou. 

Passo A Passo

Passo Um

Trabalhe seu core. Toda esta curva depende de ter um núcleo abdominal realmente forte, pois você muda o seu centro de gravidade e se inclina para trás na onda. É a sua força vinda do core que permitirá que você estabilize a prancha e lhe dará a capacidade de se elevar de volta a ela.

Em seguida, você precisa adaptar sua cavada para encontrar a seção que deseja atacar com muita velocidade. Para fazer isso, você precisa examinar sua seção ao longo da linha e começar a definir sua cavada de forma que ela o projete no ângulo correto. O tempo é tudo aqui, portanto tente atrasar sua curva na base o máximo possível.

Passo Dois

O truque para essas curvas é a velocidade e o comprometimento na borda. Você realmente precisa estar bem veloz para executar o layback com perfeição, sendo assim tente quando as ondas estiverem limpas, fortes e velozes. A razão pela qual você precisa de toda essa velocidade é que, assim que começar a virar a prancha e a borda externa começar a agarrar na água, você possa deslocar seu peso sobre os calcanhares, colocando o braço de trás na parede da onda atrás de você. Esta é a parte mais comprometida desta manobra. Uma borda não engajada ou velocidade insuficiente e será muito fácil deslizar para fora da onda ou arrastar a prancha de fundo, ficando atolado e perdendo todo o seu impulso, pois seu corpo começa a se arrastar na face da onda. Dessa forma, é de suma importância que você tenha uma prancha rápida e maleável.

Passo Três

Agora que a posição do seu corpo está correta e a borda externa da prancha cortando a face da onda, é hora de girar na curva e completar o movimento. É aqui que entram em jogo a força das pernas e do core. Ter um bom conhecimento do seu equipamento, sabendo como o outline e o rocker da sua prancha irão se comportar e desenhar uma linha através da parede conforme você faz a curva são a chave aqui.

Mantenha o peso sobre os calcanhares enquanto gira os braços e a parte superior do corpo durante a curva, permitindo que as pernas sigam a mesma linha. Conforme você se flexiona e se encolhe de volta no pocket da onda, haverá um ponto em que deverá trocar de borda, engajando novamente a de dentro na face da onda. Sabendo quando isso deverá acontecer e onde esse ponto de quebra está em sua prancha de surf permitirá que você execute a manobra com perfeição. Essa é certamente a parte mais difícil da manobra.

A melhor maneira de realmente acertar essas curvas é sentir que sua prancha começa a querer se mexer sob seus pés e começar a escorregar. Nesse momento coloque todo o seu peso na extremidade traseira da borda, gire e abaixe os ombros para colocar as quilhas de volta na água. Isso lhe dará controle e permitirá que você levante o corpo de volta à prancha rapidamente. A prática é a única coisa que vai te ensinar essa percepção, assim como acontece em outras manobras.

Dica

Para acelerar sua curva de aprendizado, eu diria que a visualização funciona perfeitamente bem. Assista a alguma filmagem de alguém fazendo um layback, assista quantas vezes puder. Em seguida, feche os olhos e visualize-se fazendo a mesma curva, se puder pratique com um skate simulador em alguma pista com boas paredes. Repita exaustivamente e então caia na água e tente nas ondas.

Se você gostou deste conteúdo, recomende a leitura para seus amigos e deixe seus comentários aqui embaixo falando sobre sua evolução da execução de um layback. Ficaremos muito felizes em saber. Boas ondas!

Deixe uma resposta

Abrir conversa