fbpx

Barra De La Cruz, México: Análise Do Pico

Barra de la cruz mexico

Barra De La Cruz, México: Análise Do Pico –

Voltando à nossa série Análise Do Pico, hoje chegamos a um dos point breaks mais perfeitos do planeta, Barra De La Cruz, no México.

Há alguns meses falamos aqui sobre uma região mágica no sul do México, as praias de Salina Cruz. Como dissemos naquela oportunidade, suas ondas são relativamente novas em termos de popularidade. Da mesma forma, o pico de Barra De La Cruz começou a ser divulgado na grande mídia há apenas 15 anos.

De fato as duas regiões são muito próximas umas as outras, ambas ao sul do famoso beach break de Puerto Escondido. Por muitas décadas suas ondas foram surfadas em segredo por alguns poucos aventureiros, mas chegou um momento que foi impossível continuar as escondendo.

Rip Curl Search 2006

Dito isso, é importante mencionar um fato muito relevante sobre a “descoberta” de Barra De La Cruz. Sem dúvidas havia cada vez mais surfistas frequentando o pico ano após ano, mas ainda assim eram muito poucos. Foi então que no ano de 2006 a ASP (atual WSL) resolveu realizar uma etapa do circuito mundial de surf naquelas ondas. De forma inesperada para a maioria dos surfistas do mundo, o campeonato seria realizada em ondas totalmente desconhecidas na costa mexicana.

Entretanto, o que certamente ninguém esperava, nem o mais otimista surfista do planeta, era que as ondas estariam tão perfeitas. De fato este foi o campeonato com as melhores ondas de toda a história do surf profissional. Foram 4 dias de ondas absolutamente perfeitas, um swell histórico que fez Puerto Escondido quebrar ondas de 30 pés. Este mesmo swell entregou ondas absolutamente inacreditáveis sobre a bancada de areia de Barra De La Cruz. Durante os quatro dias de campeonato as ondas variaram entre 4 e 8 pés, correndo por mais de 200 metros.

Suas longas paredes ofereceram condições inéditas para os surfistas. Eram seções de tubos profundos, 3 a 4 por onda, mixadas com faces limpas para manobras de borda e lip. As ondas eram tão perfeitas e compridas que até o critério de julgamento teve que se ajustar, senão qualquer onda surfada naqueles dias seriam uma nota 10. O grande vencedor foi o lendário Andy Irons, como vice o mestre do estilo Taylor Knox.

A partir daí o mundo todo descobriu – boquiaberto – aquele tesouro encravado na costa do estado de Oaxaca. Não é preciso dizer que após este evento houve uma invasão de surfistas de todos os cantos do planeta e o crowd aumentou consideravelmente, por razões óbvias. Por fim, a WSL resolveu resgatar as memórias desse evento histórico e realizar outra etapa da elite mundial por la em 2021.

Mudanças Ao Longo Dos Anos

barra de la cruz

A geografia do local é peculiar. Uma praia praticamente deserta, não fosse por um bar instalado em suas areias, Barra De La Cruz conta com um costão de pedras enormes no canto direito. Aliás, sua abundante vegetação contrasta com a aridez das praias de Salina Cruz, mais ao sul.

Além do costão, a praia apresenta uma lagoa na parte de trás, que por muitos anos desaguou no mar, muito próximo das pedras. Isso fazia com que o fundo de areia se mantivesse sempre chapado e perfeito, colaborando com a boa formação das ondas, as quais ajudavam a sedimentar a bancada depositando ainda mais areia.

Todavia, como a natureza está em constante movimento, o curso da lagoa acabou mudando lentamente com o tempo e por um momento ameaçava a estrutura do bar local. Foi aí que, de forma irresponsável, mas até ingênua, os locais responsáveis por ele forçaram a alteração do deságue da lagoa mais para baixo da praia, distante do costão.

barra de la cruz mexico

Mal eles sabia que isso iria mudar completamente a bancada do pico, que perdeu muita areia e acabou ficando fundo. Suas ondas perderam e muito em qualidade, ficando mais cheias e lentas, apesar de ainda super divertidas. Nos últimos anos a natureza retomou as rédeas do curso da lagoa, o fundo voltou a acertar e consequentemente as ondas voltaram a quebrar mais perfeitas e longas. Porém, segundo os locais, nunca antes e nem depois do evento da Rip Curl em 2006 aquele pico quebrou tão perfeito e grande quanto no campeonato.

A Onda

Uma direita incrível, assim podemos definir o pico de Barra De La Cruz. Em dias clássicos suas ondas começam a quebrar na ponta do costão, de frente para as pedras. Nessa parte rolam tubos pesados depois de um drop extremamente difícil no buraco da onda. Depois, conforme as ondas vão correndo pela bancada, as seções variam entre paredes em pé para manobras progressivas em alta velocidade e partes mais cheias que pedem cutbacks alongados.

A entrada no mar se dá pelo canto do costão, é esperar a série passar e se jogar na água rapidamente. Em dias de ondas acima dos 5 pés a correnteza fica bastante forte e ser manter no pico exige boa remada e excelente condicionamento físico. O fator crowd hoje pode ser algo a gerar certo incômodo, principalmente em dias de ondas pequenas e médias, mas como as ondas são longas, é fácil encontrar um local para sentar e pegar boas ondas, sempre com muito respeito aos locais e aos outros surfistas é claro.

Apesar de ser um lugar bastante frequentado por surfistas, ainda há pouca infraestrutura. Pequenos quartos muitos simples são a opção para quem quiser se hospedar na praia, naquele bar que mencionamos anteriormente. Outras opções mais confortáveis podem ser encontradas tanto no vilarejo de mesmo nome quanto na estrada de terra que leva até a praia. Aliás, no começo dessa estrada há uma cancela onde deve-se pagar uma pequena quantia para que sua passagem seja liberada todos os dias.

Lembre-se que está é uma região onde faz muito calor. Prepare roupas leves, um bom par de chinelos, grandes quantidades de protetor solar, óculos, chapéu e mantenha seu corpo sempre muito bem hidratado.

Condições Ideais

As melhores condições para Barra De La Cruz quebrar de gala são swell de sul entre 5 e 10 pés e período alto, acima dos 12 segundos. A melhor maré por ali é a seca enchendo. O swell de sudoeste também quebra muito bem, mas as ondas ficam menos tubulares e mais lentas. O ventos ideias são o norte e o noroeste, já que o pico é vira para sudeste. A melhor época é entre os meses de Abril a Outubro.

Pranchas

al merrick twin pin

Pensando em uma viagem de 10 dias para Barra De La Cruz, montamos um quiver de três tipos de pranchas para que você possa aproveitar o melhor deste pico, independente de como as ondas estejam.

Para os dias pequenos com ondas entre 1 e 2 pés o ideal é usar um modelo alternativo e divertido, nesse caso um biquilha moderna. Nossa recomendação são os modelos Al Merrick FishBeard e Al Merrick Twin Pin.

Já para os dias de ondas boas entre 3 e 5 pés, prefira pranchas de alta performance do dia a dia, tais como a SharpEye Inferno 72 e a Pyzel The Shadow.

Já para quando as ondas estiverem mais séries, com tamanho de 6 pés para cima, indicamos modelos mais sólidos e seguros. Para esses dias indicamos os modelos DHD Sweet Spot 3.0 e Chilli Faded 2.0.

Com essa combinação de tipos de pranchas certamente você conseguirá aproveitar e surfar o seu melhor todos os dias da sua trip. Se ficou empolgado com esse pico, encaminhe o artigo para seus amigos e armem uma viagem para lá assim que possível. Lembrando que o México está aberto para os brasileiros mesmo em meio à pandemia (artigo escrito em 15/06/2021).

 

Deixe uma resposta

Abrir conversa