fbpx

Surf Em São Sebastião: Análise Do Pico

Surf Em São Sebastião: Análise Do Pico –

Voltamos com nossa série Análise Do Pico, e desta vez com picos clássicos no litoral norte de São Paulo. Finalmente chegamos a São Sebastião, município que abriga ondas fortes e tubulares como as badaladas Maresias e Camburi. Confira a seguir!

Em nossos artigos abordando os melhores picos de surf do mundo, normalmente recebemos comentários de leitores pedindo para avaliarmos outras regiões com altas ondas. Um dos locais mais pedidos é sem dúvidas a região de Maresias, no famoso “north shore” paulista. Então, antes tarde do que mais tarde, chegou a vez de abordarmos os principais picos dessa área, que é repleta de ondas poderosas e berço de surfistas incríveis, sendo o principal deles o tricampeão mundial Gabriel Medina.

História, Turismo E Cultura

Assim como muitas cidades litorâneas brasileiras, São Sebastião também foi fundada por portugueses ainda na época do Brasil colonial.  Ela tem esse nome em homenagem ao santo católico homônimo. Isso se deve ao fato de que foi no dia de São Sebastião que o explorador e navegador português Américo Vespúcio chegou, no ano de 1502, à região. Mesmo que o município de tenha crescido em torno da vila portuguesa, historiadores dizem que a região já era habitada, muito antes, por índios tupinambás e tupiniquins.

Mais precisamente, ela foi fundada no ano de 1636 pelos portugueses vindos da Vila de Santos, a qual foi criada em 1546. Eles estavam à procura de terras para o plantio de cana-de-açúcar, no auge do ciclo da cana no País.  

Dessa forma, não deixe de conhecer o centrinho histórico de São Sebastião. Ele se localiza a 25 quilômetros de Maresias, indo pela BR-101 sentido norte. Ali, ruelas e avenidas repletas de edifícios originários dos séculos XVII e XVIII, todos coloridos e colados uns dos outros. O local é bem pequeno e poucos minutos são necessários para completar o passeio e conhecer a belíssima história de São Sebastião. Assim como o centro histórico das principais cidades litorâneas do sul e sudeste, ele é todo construído em pedra e argamassa de areia. 

Visite a Igreja da Matriz, de forte influência jesuítica, com sua fachada amarela muito característica. Logo à frente da igreja encontra-se uma praça, lugar ideal para sentir de perto o ritmo dos moradores locais. Aproveite também para conhecer a Casa de Câmara e Cadeia, um prédio que simboliza a administração local nos tempos do Brasil colônia. Seguindo, vá até a Casa Esperança, considerada o edifício mais nobre do centrinho. Tombada pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), a casa se destaca pela varanda de metal, toda ornamentada e que se assemelha à dos mais majestosos casarões coloniais do Brasil. 

Por fim, a Capela de São Gonçalo, onde fica o Museu de Arte Sacra de São Sebastião. Tombada pelo CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico de São Paulo), a capelinha é um lugar imperdível para quem adora locais sagrados, que transbordam fé e paz. 

As Praias E O Surf

sao sebastiao

Com 100 quilômetros de faixa litorânea e mais de 30 praias, São Sebastião tem algumas dos picos mais badaladas do litoral Norte de São Paulo. Espalhadas pelas vilas ao redor da cidade, as praias de maior destaque certamente são Maresias e Camburi, reduto de surfistas e também com muita badalação nas areias e fora delas.

Escolhemos as praias com as melhores ondas para que você possa conhecê-las e saber maiores detalhes de quais são as melhores condições para cada uma delas, assim como recomendação de pranchas e equipamentos em geral.

Praia de Juquehy

Primeiro grande atrativo turístico da cidade, a praia de Juquehy tem ótima infraestrutura para atender seus visitantes. Em geral, suas ondas são boas e fortes, entretanto tendem a fechar um pouco. De fato a formação das ondas nessa praia é bastante interferida pela maré, consequentemente influenciando  a qualidade do surf.

No canto direito, as ondas normalmente são maiores e ali há uma ilhota chamada Cambaquara. Ela auxilia na formação das ondas e também possibilita a entrada no mar por um canal. No meio da praia, a conhecida Vala da Praça é a preferida da galera local. Por outro lado, no canto esquerdo, quando o mar sobe de verdade, os tubos fazem a cabeça dos mais atirados, tais como o local Thiago Camarão.

De fato existem ótimos surfistas locais e eles estão sempre na água. Ainda assim, o crowd nessa praia é mais tranquilo se comparado a Camburi e Maresias, por exemplo. Esta agradável praia conta com muitas casas de veraneio, hospedarias, restaurantes e lanchonetes. As melhores condições de surf em Juquehy ocorrem com swell de sul e sul/sudeste entre 4 e 7 pés e período acima dos 10 segundos. A melhor maré é a média e o vento terral é o norte, mas recebe bem o noroeste e o nordeste.

Sendo um beach break com condições variáveis, recomendamos pranchas versáteis que se adaptem bem a diversas condições. Sendo assim, indicamos as moderníssimas Al Merrick Two Happy e SharpEye Inferno 72.

Barra do Sahy

Pequena e belíssima praia, a Barra do Sahy conta com um rio em seu canto esquerdo. Com um visual alucinante, seu fundo de areia muda bastante por conta da boca do rio. É uma praia tranquila e normalmente calma, ela se transforma com swell de sul médio/grande ou de sudeste/leste bem grande. Nesses dias o meio da praia quebra ondas fortes e forma até alguns tubos no inside. Já no dia a dia, com ondulações médios, o pico mais constante é no canto direito, junto às pedras.

No entanto, o melhor mesmo é na Laje do Sahy, a qual fica localizada no canto esquerdo, bem no outside. Nesse fundo de pedra rolam esquerdas perfeitas que podem chegar aos 8 pés. Quando ela quebra a galera local sempre domina o pico, mas o crowd é amigável se você chegar com respeito. Saiba chegar, discretamente e sozinho e não haverá problemas. Para essa onda funcionar o melhor swell é de sudeste grande, acima dos 7 pés e com período acima dos 10 segundos. A melhor maré é a seca enchendo e o vento norte é terral. 

Para os dias menores recomendamos pranchas que para um surf hot dog, que andam bem em condições longes das ideais, tais como a DHD 3DX e a Rusty Hatchet. Para os raros dias grandes na laje, prefira pranchas com boa remada e mais seguras em ondas fortes, nesse caso indicamos a DHD Sweet Spot 3.0.

Praia da Baleia

Pico muito tradicional e frequentado tanto pelos surfistas de pranchinhas quanto pelos longboarders. Quando o mar sobre e acaba ficando passado em outras praias, o canto direito da Baleia serve como excelente opção. No chamado Canto Mágico rolam boas ondas, super constantes e um pouco mais cheias, favorecendo muitas manobras e sendo bastante democrática, pois aceita surfistas de todos os níveis.

Este pico quebra melhor com ondulação de sudeste e sul acima dos 4 pés, período entre 8 e 13 segundos, vento nordeste e basicamente qualquer maré. As ondas variam de 2 a 7 pés e o canal no canto ajuda na hora de entrar no mar. No meio da praia rolam boas ondas com swell de sul ou sudeste com boa formação variando de 2 a 6 pés ou até mais. Quando o mar está pequeno, a Baleia é ideal e muito frequentada por iniciantes. Nos dias bons espero por bastante crowd no pico. 

Para a Baleia, prefira pranchas mais alternativas e divertidas em ondas mais cheias. Nesse caso indicamos os modelos Al Merrick FishBeard, Lost Hydra e Stacey Bullet Twin.

Camburi

Um dos picos mais famosos e constantes do litoral Paulista, a praia de Camburi conta com ampla infraestrutura para receber visitantes. Suas ondas são fortes, cavadas e rápidas. Certamente é um dos picos mais constantes da região, quase sempre tem uma vala.

Podemos destacar aqui a famosa onda que dobra na laje no canto esquerdo da praia. No meio da praia também rolam ondas muito boas, principalmente em frente ao deck de madeira. Por fim existe também o pico do “bowl”, no canto direito. Ali funciona bem quando a ondulação encosta com muita influência de leste, onde os tubos rolam soltos. 

Tanta onda boa atrai muito crowd e às vezes ele pode se tornar até violento. Fato é que muitos surfistas da capital adotaram Camburi e agem como protetores do pico, portanto, todo cuidado é pouco, atenção para não rabear ninguém.

As melhores condições para Camburi são swell de sul e sudeste acima dos 5 pés e período acima dos 10 segundos. O vento ideal é o nordeste e funciona bem em todas as marés, mas prefere enchendo. Por ter ondas fortes, recomendamos pranchas sólidas e de alta performance para ondas boas. Os modelos Al Merrick Happy e Pyzel Shadow podem funcionar muito bem. 

Maresias

Maresias é sem dúvida uma das melhores ondas de São Paulo. Aliás, muitos a colocam entre as cinco melhores ondas do Brasil. Celeiro de atletas de destaque internacional, como o campeão mundial Gabriel Medina, que foi criado nessas ondas, Maresias conta com vários bancos de areia espalhados pela praia e funciona com qualquer tamanho de ondulação.

Suas ondas são muito fortes, tubulares e rápidas. As melhores condições são com swell de sul acima dos 7 pés, período acima dos 10 segundos e vento do quadrante leste/nordeste. A maré seca enchendo é preferida nesse pico. Apesar de rolar pela praia toda, devemos destacar o Canto do Moreira (canto direito). Suas ondas são triangulares e nos dias clássicos reservadas apenas para os mais experientes. Sobre as demais bancadas as ondas são bem parecidas, típicas dos melhores beach breaks do Brasil.

Fato importante a saber é que quanto mais para o lado esquerdo da praia, menor fica o mar, sendo assim, prefira surfar para aqueles lados se você é iniciante ou intermediário. Não podemos deixar de dizer que o crowd é intenso, constante e repleto de excelentes surfistas. Aliás, é muito comum ver profissionais treinando nas ondas de Maresias, já que é um pico de alta performance. 

Para se dar bem nos dias clássicos, use pranchas maiores e com ótimo poder de remada. As ondas de Maresias exigem equipamentos estáveis e sólidos, então não tenha medo de usar mais volume, pois ele é seu amigo. Sendo assim, indicamos os modelos SharpEye #77+, Pyzel The Ghost e Al Merrick Happy Traveler.

Paúba

Um shorebreak clássico, a pequena e aconchegante praia da Paúba apresenta ondas extremamente tubulares e poderosas. O pico é perfeito para o bodyboard, mas a galera do surf que ama os tubos e tem bastante coragem também marca presença em busca dos canudos.

Por conta da sua posição geográfica, o point não é dos mais constantes, mas quando funciona oferece triângulos cabulosos que normalmente arremessam os surfistas direto para a rasa bancada de areia em caso de vaca. A Paúba é uma onda de alta performance e indicada exclusivamente para os surfistas bem experientes e habilidosos.

Para funcionar ela precisa de um grande swell de sul/sudoeste acima dos 7 pés e período acima dos 10 segundos. Ondas impressionantes com tubos enormes quebram bem perto da praia. Por conta disso, acidentes não são raros, sendo aquele seríssimo com o ex-surfista profissional e big rider Taiu Bueno o mais famoso de todos. Quando quebra Paúba é show, com vários fotógrafos e surfistas profissionais na área. 

Se você acredita estar pronto para surfar suas pesadas ondas, tenha em mente que você precisará estar com o equipamento ideal para isso. Pranchas para ondas tubulares e com excelente remada são uma necessidade. Indicamos os modelos Lost Sabotaj e Chilli Faded 2.0.

Além de todas essas praias existem outras com condições boas de surf também e alguns dias especiais. Podemos mencionar as praias de Santiago, Guaecá, Juréia, Boiçucanga e Boracéia por exemplo. Vale lembrar que a Ilhabela fica logo á frente de São Sebastião e bloqueia as ondulações de leste. Caso você queira se aventurar por lá, existem ótimas ondas também.

Se você curtiu a diversidade de ondas boas de São Sebastião, envie este artigo para seus amigos e embarque nessa trip assim que pintar um bom swell de sul na previsão. Mas antes disso, lembre-se de garantir suas pranchas para aproveitar ao máximo as altas ondas que rolam por lá, fale com nossos especialistas e garanta seus foguetes.

 

Deixe uma resposta

Abrir conversa